terça-feira, 2 de maio de 2017

Finais

O início começa agora. O início do fim. Nascemos a ouvir que nada dura para sempre e, ainda assim, conseguimos espantar-nos com finais. De hoje a pouco tempo, restarão apenas as memórias e a ... saudade. Essa é já tida como certa. E da dor da saudade e da memória mais nada restará. Viveu-se o que se viveu e outro tanto há-de ter ficado por viver. O tempo é soberano e não dá tréguas. Haverá um dia em que subiremos uns degraus de madeira, veremos os outros em baixo, e, lá em cima, havemos de sentir que tudo valeu a pena. Lá em cima, prestes a iniciar a viagem (do fim), havemos de perceber como fomos felizes e como tudo ficará, para sempre, guardado em nós, fazendo-se exatamente parte de nós. Ou não fosse tudo isto, o auge. 

Sem comentários:

Enviar um comentário